sexta-feira, 26 de abril de 2013

Moinhos de Vale Flores



Já no Concelho da Chamusca, Freguesia da Parreira, antes do encontro da Ribeira do Chouto com a Ribeira de Muge, encontramos dois moinhos de rodízio na margem esquerda desta última. Um deles deu inclusivamente origem ao topónimo “Moinho de Vale Flores”, que surge na carta militar. Se a levada que os tocava já desapareceu, ajudada possivelmente pelos trabalhos agrícolas que aqui se desenvolveram, o mesmo não se pode dizer dos engenhos.


O moinho mais a jusante é também designado simplesmente por “minhola”, ou seja, um moinho pequeno, contou com dois casais mós. Foi convertido em espaço de arrumos para a atividade agrícola. Foi-nos referido como tendo sido pertença de Agostinho Lopes e teve como moleiro António Teso.


Já do engenho mais a montante podemos apresentar mais alguns dados histórico-cronológicos, contudo menos tecnológicos, pois foi-nos vedada a entrada neste engenho. Contudo, conseguimos saber que teve como proprietário Inácio Lopes e como moleiro Manuel Teso. Foi construído em 1917, tendo-lhe sido adicionado um motor em 1950 (para fazer face à falta de água). Parou de trabalhar em 1963. Parou de trabalhar em 1963.