domingo, 20 de abril de 2014


Contemplo estas ruínas seculares,
Restos mortais de um Paço majestoso:
Muro ameado e brasão do Venturoso
Ladeado por esferas armilares.

Agora, estes históricos lugares,
Paraíso perdido – e tão saudoso! –
Evocam, no abandono lastimoso,
Coutada, moinhos, hortas e pomares.

A Ribeira de Muge já não canta
Sob a janela manuelina, à Infanta,
Nem a trompa anuncia as montarias.

Até que um novo almoxarife assome
E afaste o mau presságio do teu nome,
Paços dos Negros, negros são teus dias.
Francisco Henriques, Cântico à Minha Terra 


Neste ano que se comemoram os 500 anos da conclusão do Paço Real da Ribeira de Muge, apresentamos aqui um tema por mês relacionado com este lugar. A lista abaixo irá sendo atualizada ao longo do ano, à medida que os temas forem saindo. Para aceder ao conteúdo, basta clicar no respetivo mês:

JaneiroOrigem e proprietários do Paço Real da Ribeira de Muge

FevereiroOs almoxarifes do Paço Real da Ribeira de Muge

MarçoO Paço desaparecido

AbrilOs moinhos ligados ao paço

Maio: A relação entre o Convento da Serra e o Paço Real da Ribeira de Muge

Junho: A Capela de S. João Baptista

Julho: O Pórtico

Agosto: Os negros e os escravos no Paço Real da Ribeira de Muge

Setembro: O Rei Preto

Outubro: Os Azulejos do Paço Real da Ribeira de Muge

Novembro: 500 anos da conclusão do Paço Real da Ribeira de Muge

Dezembro: O "Passos Negros" à luz dos registos paroquiais do séc. XVII