sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Moinho de Vento da Quintinha – Santiago do Cacém

  
O Moinho de Vento da Quintinha, situado nos limites da Vila de Santiago do Cacém, pode ser classificado como um moinho de vento de torre fixa, de tipo saloio (é rebocado, pintado de branco e com uma barra azul escura).

É desconhecida a data da sua construção. Só se sabe que foi registado em 10 de novembro de 1871. Trabalhou até 1966. Foi adquirido pela autarquia em 1970, contudo a sua recuperação só se verificou em 1982.

Desde essa data, sempre trabalhou, apesar de presentemente ter o mastro danificado, e aguardar pela sua reparação. Os munícipes podiam ver aqui trazer os seus cereais para moer, pagando uma maquia pelo serviço, em vez de um valor monetário. Para além disto, este engenho é o primeiro “moinho-escola” de Portugal, tendo já aqui se formado, para além de alguns estagiários, o moleiro do Moinho do Esteval (Montijo).


É constituído por três pisos, sendo no superior (também chamado de sobrado), que se encontra a moega. Esta é constituída por um casal de mós negreiro, reforçado a cimento e com cambeiros de chapa. O tegão, quelha e chamadouro são de madeira (2). A tração é feita por sarilho. Tendo sido colocado um cata-vento na cobertura, foi feita a montagem de modo a que pudesse ser colocada uma seta visível no interior (3), para o moleiro saber a direção do vento, rodando assim o capelo de modo a apanhar o vento dominante.


Bibliografia:

MATIAS, José (2002). Moinhos de Vento do Concelho de Santiago do Cacém, col. Memória e Escrita Alentejana, vol.4. S/l: Edições Colibri e Centro de Estudos Documentais do Alentejo.