quarta-feira, 2 de abril de 2014

Hoje comemoram-se 100 anos da criação do Concelho de Alpiarça - Discurso de José Relvas no Senado da República

 

Sob vários aspectos foi apreciado o projecto de autonomia do concelho de Alpiarça durante a discussão da questão prévia do adiamento. Os Srs. Senadores, que defenderam o adiamento, insistiram, principalmente, na recusa a igual projecto relativo ao concelho do Bombarral e na próxima discussão do Código Administrativo.

Outros argumentos foram produzidos, mas mais vale reservar a sua apreciação para o momento de discutirmos o projecto.

Por agora basta dizer que os recursos, financeiros do novo município são suficientes para a sua vida autónoma, que tem os elementos necessários para se administrar, população suficiente para justificar a sua existência independente, nem sequer lhe faltando o edifício para sede de todas as repartições municipais e do Estado.

Creio bem na sinceridade e boa vontade dos parlamentares que afirmaram a próxima discussão do Código Administrativo. Certo é, porêm, que muitos assuntos, e alguns de grande importância, tem de ser apreciados nesta casa e numa sessão já adiantada. Basta lembrar o Orçamento, a revisão da lei de separação das igrejas e do Estado, a amnistia e vários projectos de discussão inadiável para os interêsses da nação.

As reclamações de Alpiarça vem já de muito longe; foram formuladas perante o Govêrno Provisório, que, por melindres bem justificados, se absteve de dar satisfação a uma terra que vinculara o seu mais forte movimento político à revolução que proclamou a República. 

Não venho, Sr. Presidente, fazer esta referência para justificar um projecto que, desacompanhado doutras razoes, não seria defensável. Nem a isenção daquele movimento patriótico me permitiria desvirtuá-lo, vindo a esta Câmara solicitar como que a sua paga.

O meu fim é apenas justificar, em 1914, a urgência dum projecto que já era urgente em 1910, consignando tambêm o meu receio de ver retardada a aprovação da nova lei administrativa e mais uma vez protelada a legítima aspiração dum povo que, pelo seu rápido desenvolvimento económico, está exigindo melhoramentos locais, que só poderá realizar quando alcance a sua independência.

Com estas palavras respondo tambêm à alusão que foi feita a dissenções que teriam motivado a separação dos concelhos.

Tal razão nunca me levaria à defesa do projecto, salvo se existissem rivalidades perigosas e condições tam extremas que impusessem essa solução.
Felizmente não existem.

O Sr. José de Pádua afirmou que votara a criação do concelho do Bombarral. Outros Srs. Senadores a votaram tambêm, de sorte que essa razão me não detêm. 


Intervenção de José Relvas, enquanto senador, no Senado da República, na discussão da criação do Concelho de Alpiarça. 

Diário das Sessões do Senado - Sessão de 9 de Fevereiro de 1914 (pp. 4-5).